"Acho"


Não podia dizer o que foi que vi em ti exactamente. Que foi o que chamou-me a atenção, e chegou tão profundo. Tal vez foi o seu sorriso, esse sorriso que tinhas só para mim. Os teus abraços, que faziam que me esquecesse de tudo o que tinha a minha volta. Se calhar foram os teus olhos ou o teu olhar, o teu cheiro inconfundível. Pode que foram as tuas palavras de carinho e os teus sussurros na minha orelha. Acho que foi porque contigo nunca senti frio, e sentia-me livre e invencível. Possivelmente foi aquele sorriso burlão e esses gestos que tanto gosto, as burlas das minhas manias que depois arranjavas com um beijo. Os teus beijos, esses que me levavam a lua ou a lugares desconhecidos. O caso é que  tenho saudades desses lugares, e esses momentos contigo, que os relembro e choro. E a nossa canção que agora não faz manhas que sonar na radio e soa tão estranho, tão sem sentido.. O teu olhar já não está, os teus beijos, e abraços já não existem, as tuas palavras levaram-se o vento, e as burlas serão de outra, de outras de uma qualquer. Agora faz frio e não sorrio. Sim, estou livre de verdade, mas não me sinto assim. Mudei, mas eu não quero ser outra, eu quero ser a mesma que fui. Quero que tu sejas o mesmo. Apesar de tudo, acho que o mundo é menos mau desde que existes.

1 comentário:

Biia disse...

Adorei o blog, estou a seguir